FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO

Trabalhando com Jesus


Espírito: André Peralva

Médium: Maria Sílvia

Psicografado: Em 18/09/2012 - Associação Espírita Pão e Luz - Camaçari - Bahia.


Trabalhando com Jesus


Há uma grande responsabilidade no trabalho com Jesus. Apenas laboram verdadeiramente no seu ministério, aqueles que voltados à própria consciência de responsabilidade, desejam realizar as tarefas que lhe estão sob a tutela de forma equilibrada e séria.


Estando sob a sua égide, é necessário alto nível de comprometimento interior, desde os trabalhos mais simples até as tarefas que envolvam maior dispêndio de dedicação.


Para isto já diz o emérito codificador da Doutrina de Jesus, Allan Kardec, é preciso dedicação ao estudo e como esclarece Emmanuel ao amado e saudoso Chico Xavier, disciplina, disciplina e disciplina.


Ao funcionário do Mestre, já não cabe desculpas de falta de informações. Companheiros do além-túmulo derramam sobre nós todos os dias, através da mediunidade benfeitora da psicografia esclarecimentos da mais variada ordem, abordando os mais variados temas no que se refere aos trabalhos da casa espírita, seja em relação ao exercício da mediunidade, ao processo doutrinário, a evangelização infanto-juvenil, ao atendimento fraterno, e ao atendimento a encarnados através da fluidoterapia etc.


Ao trabalhador responsável é necessário o respaldar-se no estudo, principalmente das funções que ocupa na seara do Mestre, para que possa desempenhar as suas atividades de forma ponderada e com a consciência livre de qualquer atavismo e interpretação equivocada.


Para que saibamos orientar é preciso estar orientado através da busca incessante do conhecimento e da reflexão interior. Já não fazemos parte do homem fisiológico, somos hoje o homem psicológico em plena ascensão.


Necessitamos sair da sombra dos melindres e irmos à busca da luminescência do conhecimento.


“Urge o tempo em que o Mestre nos perguntará”: o que fizestes dos talentos que deixei sobre a sua responsabilidade”?

“Como conduzistes as ovelhas do meu rebanho”?

Estamos sempre orientando, dentre o que nos cabe. Mas não podemos interferir nas decisões da equipe encarnada. Respeitamos o livre arbítrio de cada trabalhador, que mais adiante responderá pela tarefa que ora lhe foi confiada.

Necessita-se da compreensão das responsabilidades e da importância de todos os trabalhos para os conduzirmos com dignidade e amor.


A nossa preocupação tem que ser com o Cristo, que foi doce e meigo quando acariciava os fracos e oprimidos, imensamente misericordioso quando amava e orientava com estas palavras, “vais e não peques mais”, ou ainda quando usou da sua energia contra os vendilhões do templo.


É ele que deverá ser o nosso modelo e guia. Mas não podemos vivê-lo apenas nas palavras, é urgente que o possamos vivenciar permanentemente em nossas atitudes, em nossas ações, sabendo ser o trabalhador dedicado e zeloso da sua seara.


Durante todo o seu ministério libertador, o Cristo de Deus, buscava sempre no pai a orientação que precisava, e era na vontade dele, que amou de forma tão profunda.

Ninguém é bastante sábio que já não precise mais estudar.


Amamos àqueles que buscam o aprendizado constante, buscando vencer as próprias limitações no esforço contínuo de fazer o melhor. Jamais faltará o concurso fraterno ao trabalhador dedicado e responsável.


Jesus busca em nós o comprometimento com a sua causa, através do amor e da sincera dedicação às tarefas espirituais.


São muitos os que batem à porta dos nossos corações, esperando de nós o esclarecimento para as suas dores. Cabe-nos o respeito por suas fraquezas, buscando ofertar-lhes aquilo que já tivermos adquirido através das experiências do dia-a-dia e dos recursos adquiridos na doutrina iluminada. Para tanto, é preciso trabalhar com dedicação, conhecimento do que se faz, compromisso interior e verdadeira vontade de servir.


Trabalhar na vinha do Senhor da Vida é voluntariado de amor!

Nas Casas sérias, onde seus trabalhadores vivem na observância dos postulados Kardequianos, onde se busca o equilíbrio das tarefas, o aperfeiçoamento dos trabalhos, onde se nota um verdadeiro esforço conjunto de todos os trabalhadores para o crescimento nos trabalhos espirituais, onde vemos a união de ideais, nesta casa haverá o concurso fraterno e permanente dos emissários do Senhor, impulsionando à cada trabalhador num processo de verdadeiro amor e orientação.


Mas, àquelas outras, onde nota-se a falta de interesse aos estudos, a ausência do critério nas atividades exercidas, apesar das orientações, onde apenas um ou outro se esforça no aprimoramento e na real construção de trabalhos de qualidade e amor, nesta haverá a ausência dos trabalhadores espirituais sérios que trabalham com Jesus.


Trabalhará na seara, apenas aqueles que tiverem firmado compromisso perante a própria consciência, de servir a Jesus e apenas a ele buscar agradar, com as verdadeiras ações de amor e de responsabilidade.


Já não há tempo para indecisões. A verdade e o que é correto devem estar sempre à frente.


Lembre-se que aos espíritas será cobrado mais pelo mais que receberam.

Que o Mestre doce e amável os oriente e guie.


André Peralva.
18-09-2012

José Medrado - Editorial

Cristina Barude - Psicografia

Eventos

Auxílio Espírita

Colunistas

Artigos relacionados

Gentileza sem cor - 26/11/18

Marisa Montes em sua música, Gentileza, inicia dizendo que “Apagaram tudo//...
Leia Mais

Ode ao Amor - Psicografada em 22/11/18

Que os corações de boa vontade ajudem a florir o mundo com o perfume do amo...
Leia Mais

Mergulho nas profundezas de si mesmo - Psicografada em 25/10/18

O encontro consigo mesmo é uma das maiores e mais fascinantes aventuras! Co...
Leia Mais

Massa de manobra - 04/06/18

Nesta manhã de segunda-feira (4), lendo aqui no BNews a manifestação de Líd...
Leia Mais