FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO

Adnet e Anitta - Abusos e vibradores - 13/04/2020

Sempre houve na sociedade uma vertente muito forte da hipocrisia, até como instrumento de integração a um grupo, de aceitação em algum contexto social. Estamos, no entanto, vendo uma, não diria inversão de valores como muitos falam, mas uma valorização do vazio, do sem forma, talvez seja o tal mundo líquido que o professor polonês Zygmunt Bauman tanto defendia: um mundo sem forma, sem concretude e onde as relações são fluidas, sem maiores conexões. Talvez isso faça entender porque o humorista Marcelo Adnetfoi alvo de ataques na internet após sua entrevista à revista Veja, em suas páginas amarelas, quando revelou que foi abusado sexualmente dos 7 aos 11 anos.


O ator recebeu comentários ofensivos de toda natureza, inclusive com xingamentos pesados. Claro que também apoios e parabéns pela coragem das revelações. O que gera, no entanto, perplexidade, em minha forma de ver, é que se por um lado o ator foi atacado por suas revelações, por outro a cantora Anitta criou o maior furor nas redes sociais ao mostrar  a variedade de vibradores sexuais que possui em sua casa. O momento foi mostrado durante live no Instagram no último sábado (11). 


​Não estou, de forma alguma, fazendo críticas ao comportamento da cantora, absolutamente. Ela faz o que bem entende nas suas redes sociais, cabendo às pessoas seguirem se querem, apreciam ou não. Não me atenho, portanto, a questões de falso moralismo, mas busco entender porque um gesto importante, vindo de uma pessoa conhecida, o ator Adnet, pode ser tão hostilizada? Muitos dirão que foi a oportunidade dos posicionamentos políticos dele serem atacados. Ok, mas aí a sociedade está mais doente do que parece. Atacar uma questão de cidadania, por conta que interesses específicos? É, convenhamos, esquisito. 


Entendo que tudo que é vivido em extremidade é sinal de hipocrisia, posto que não existe o totalmente mau ou bom, sempre somos a mistura de ser humano, porque como cantam os Titãs, em sua música Epitáfio, cada um sabe a dor e a alegria que traz no coração. 


Encerro este despretensioso texto, citando a primeira ministra da Inglaterra, que ficou conhecida como a dama de ferro, Margaret Thatcher: "Cuidado com seus pensamentos, pois eles se tornam palavras. Cuidado com suas palavras, pois elas se tornam ações. Cuidado com suas ações, pois elas se tornam hábitos. Cuidado com seus hábitos, pois eles se tornam o seu caráter. E cuidado com o seu caráter, pois ele se torna o seu destino. O que nós pensamos, tornamo-nos."


José Medrado é líder espírita, fundador da Cidade da Luz, palestrante espírita e mestre em Família pela UCSal. Também é apresentador de rádio.

José Medrado - Editorial

Cristina Barude - Psicografia

Eventos

Auxílio Espírita

Colunistas

Artigos relacionados

Ainda no espiritismo os agêneres com as suas variantes congêneres

Leave review
Por causa de dúvidas sobre os agêneres entre leitores desta coluna de O TEM...
Leia mais

Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós - 23/07/18

Leave review
Entendo que arte é tudo aquilo que nasce da livre manifestação da criação h...
Leia mais

Ainda sobre o casamento gay - 13/05/19

Leave review
Há quase uma semana aqui, o BNew divulgou uma notícia: Pastor evangélico ce...
Leia mais

Cultivo do Ódio - 10/09/2018

Leave review
A psicologia social afirma que o ódio está para os seres humanos, da mesma ...
Leia mais