FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO

Rouba, mas faz - 08/01/18


Há muito era uma justificativa de parte do eleitorado brasileiro para alegar a sua opção em votar nesse ou naquele candidato, mesmo que sabidamente corruptos. A expressão era como se fosse um anestésico para os valores da honestidade, que devem permear todos, mais ainda aos que terão “as chaves do cofre”, do nosso dinheiro. O tempo tem passado, a prática persiste, mas se travestiu de novas formas, porém os assaltos continuam. E parcela da população em total anemia moral.


Os senhores dos poderes, em geral, ainda insistem em imaginar que a outorga de seus empregos pelo povo, significa assumir, gerir uma empresa privada, como herança dos sucedidos, e aí pode tudo, afinal estão fazendo, trabalhando pelo povo. O pior, há quem acredite. Não generalizo, há, sim, os que nutrem ideais, têm a talha da vocação, mas diria minha mãe que se conhece o viajor pelo arriar das malas. O Estadão fez levantamento e verificou que o fundo bilionário criado para bancar as campanhas partidárias retirou R$472,3 milhões que eram para educação e saúde. Cerca de R$121,8 milhões da educação e pasmem: mais ainda, R$350,5 milhões da saúde. Sei sem o financiamentos de empresas, partidos pequenos, onde não há grandes recursos, nem os donos do dinheiro, para terem um mínimo de competitividade precisam de aporte, no enfrentamento das grandes fortunas, mas por que não fazem um grande fundo com as emendas deles, e só?


Este governo federal, no ano que findou, com as chamadas renúncias tributárias, ou seja, a perda de arrecadação que se registrou ao reduzir tributos com caráter "compensatório" ou "incentivador" para setores da economia e regiões do país, abriu mão de perdas estimadas em R$ 284 bilhões só em 2017. Juntamente com os benefícios financeiros e creditícios (R$ 121,13 bilhões), os valores chegaram perto de R$ 406 bilhões. Os números são da Receita Federal e do Tribunal de Contas da União (TCU). Mas é a Previdência Social que está quebrando o Brasil e aí é uma chantagem sem fim sobre todos.


Lua amarela acessa: ano de eleição, saíamos desta letargia que só beneficia os profissionais da política. Já surgem os papagaios de pirata dos sentados nas cadeiras do Poder Executivo (Estado e Município), que nada fizeram por segmento algum, mas agora querem sair na fotinha ao lado dos “puxadores de votos”, por puro oportunismo. Que passa na cabeça desta gente, você poderia me dizer? Aprendamos a ver quem fez, faz o quê, e a que vai de fato dedicar o seu mandato? Depende sempre de nós. Aberta a campanha de caça: deles por votos e a nossa pelos corruptos e oportunistas de plantão.


José Medrado

Líder espírita, fundador da Cidade da Luz, palestrante espírita e mestre em Família pela UCSal.


José Medrado - Editorial

Cristina Barude - Psicografia

Eventos

Auxílio Espírita

Colunistas

Artigos relacionados

Gentileza sem cor - 26/11/18

Marisa Montes em sua música, Gentileza, inicia dizendo que “Apagaram tudo//...
Leia Mais

Mergulho nas profundezas de si mesmo - Psicografada em 25/10/18

O encontro consigo mesmo é uma das maiores e mais fascinantes aventuras! Co...
Leia Mais

Os caminhoneiros e nós - 28/05/18

Estamos vendo, ainda que como menos força, a paralização dos caminhoneiros ...
Leia Mais

Não entendi, juro - 21/05/18

Vi uma publicação no Diário do Estado da Bahia, de 20 de abril do ano em cu...
Leia Mais